Histórias contadas pelos nossos avós…

Os mandamentos do Amor

Um poema lindo que Ernesto dos Santos Fernandes escreveu no seu livrinho/agenda de memórias.

Ernesto dos Santos Fernandes, natural de Portela, foi alfaiate, GNR e um exímio contador de histórias como referem os amigos.

Os mandamentos do Amor

Os mandamentos do Amor
Eu te vou explicar
São dez meu querido anjo
Vou tos já a decorar

Primeiro amor a Deus
Sobre tudo o quanto há
Eu amo-o a ele no céu
A ti amo-te cá

O segundo é não jurar
O seu santo nome em vão
Eu jurei que te amava
De todo o meu coração

Terceiro é guardar domingos
E dias santos
Eu só deixo de os guardar
Por causa dos teus encantos

Quarto dizem que é honrar
Vosso pai e vossa mãe
Eu não deixo de os honrar
Mas honro-te a ti também

O quinto é não matar
Eu nunca matei ninguém
Mas matava se pudesse
Saudade que o meu peito tem

Sexto… guardar castidade
Bastante tenho guardado
Para te guardar respeito
Bem pouco tenho pecado

Sétimo é não furtar
O que aos outros pertencer
Eu furtava teu coração
Se por acaso pudesse ser

Oitavo não levantar
Testemunhos a ninguém
Eu por mim não os levanto
Digo só que te quero bem

O nono é não desejar
A mulher do semelhante
Eu só te desejo a ti
Se tu me fores constante

O décimo é não cobiçar
As coisas alheias que nossas não são
Eu só te cobiço a ti
Amor do meu coração

Estes dez mandamentos
Só se encerram em dois
Amar a Deus sobre tudo
E amar-te a ti depois
Ernesto dos Santos Fernandes, Portela

Livro Memórias Ernesto Fernandes

Livro Memórias Ernesto Fernandes

 

  PROMOTOR   APOIO   COLABORAÇÃO  
  azimute   aldeia pedagógica